Grupos de Escuta de Pós-Parto

Sim, as mães recém-nascidas também precisam ser cuidadas.

Fortalecer sua rede de apoio é muito importante.

Não é fácil construir o lugar de mãe e pai quando o bebê chega à família, colocando novos desafios, ritmos e necessidades para a dinâmica familiar que, até então, não tinha que lidar com tantos desconhecimentos e incertezas.

As mães e os pais, diferentes dos animais, não nascem sabendo como ser mães e pais, e essa construção vai acontecendo aos poucos. Gostaria de compartilhar com você o porquê é muito importante procurar formas de partilhar as experiências do seu puerpério, e o motivo pelo qual os Grupos de Escuta podem ser muito potentes para cuidar das dúvidas e angústias experimentadas nesse período.

Os grupos oferecem um espaço no qual as mães podem repousar e se sintam acolhidas para compartilhar suas aflições, medos e angústias junto a outras mães e assim elaborar suas experiências pessoais.

Quando as experiências de pós-parto podem ser compartilhadas em um ambiente de confiança e não julgamento, a mãe pode contar sua história com outras lentes, caminhar em seu autoconhecimento, se fortalecer e estar mais confortável para maternar seu bebê.

Além de ter efeitos nas relações familiares, que frequentemente são sentidas com maior leveza e prazer.

No grupo, você irá:

  1. Encontrar um espaço seguro de escuta e acolhimento, sem julgamento e sigiloso, em que sua experiência será escutada com atenção, cuidado e respeito;
  2. Encontrar uma atmosfera de intimidade e confiança que favorece as partilhas em grupo, feitas com a escuta atenta e mediadora das trocas pela terapeuta de grupo. Se sentir acompanhada nesse processo de transformação pode deixar sua experiência muito mais leve;
  3. Encontrar sustentação emocional para compartilhar (sempre que desejar) suas aflições, medos, angústias (e tantos outros sentimentos) vividos em seu puerpério junto a outras mães;
  4. Encontrar ressonâncias com a experiência das demais mães, e o quanto escutá-las pode ser curativo para suas próprias questões e dores;
  5. Ir contando e recontando sua história, com diversas lentes e encontrar no grupo um lugar de legitimação da maternidade que você construiu, com todas suas escolhas e sua forma única de ser;
  6. Encontrar mais um espaço para ampliar e fortalecer sua Rede de Sustentação Emocional.

Por último, gostaria de dizer a você que nesse período de isolamento pode ocorrer o agravamento das experiências de sofrimento para muitas mães.

Como terapeuta que atende mães e bebês, continuar a oferecer grupos de escuta no pós-parto em meio à pandemia, agora na modalidade on-line, tem um significado especial pois me faz reafirmar o propósito de cuidado e escuta com cada família.

Sinto que essa é minha forma de responder e contribuir com o cuidado a alguns dos efeitos que o período de isolamento social trouxe para muitas mães e seus bebês. 

Se você sentir necessidade de apoio diante de situações muito desafiadoras, peça ajuda.

Compartilhe com outras pessoas e considere procurar por suporte emocional.

Existem muitos formatos de grupos de escuta, pagos e gratuitos. Se precisar, conte comigo para encontrarmos juntas um grupo de escuta profissional que melhor se encaixe à sua necessidade nesse momento.

Você não precisa passar por isso sozinha!

Para mais informações sobre os grupos de pós-parto, envie uma mensagem ou veja o artigo que escrevi sobre o tema, clicando aqui.

Com carinho,

Ana Payés