Oficina terapêutica pais bebê com condução da Shantala

“Nutrir a criança? Sim. Mas não só com o leite. É preciso pegá-la no colo. É preciso acariciá-la, embalá-la. E massageá-la, alimentos tão indispensáveis, senão mais, do que vitaminas, sais minerais e proteínas.”

Frédérick Leboye

As oficinas terapêuticas de Shantala para pais e seus bebês são uma experiência única, realizadas em grupo e com mediação cuidadosa. Além da experiência da condução da massagem e de receber nossos materiais para praticar em casa no momento em que preferir, encerramos cada encontro com uma partilha de experiências entre os pais, que é bastante prazerosa.

Nesse artigo vou compartilhar um pouco sobre a história da Shantala, os benefícios da massagem e, ao final, compartilho meu E-Book “Shantala para pais e seus bebês“, que apresenta a massagem assim como meu modo de trabalhar as oficinas e os atendimentos terapêuticos.

Você sabe quem foi Shantala?

Shantala, uma jovem mãe indiana, massageava calmamente seu pequeno bebê, sentada em uma calçada pública no sul da Índia, como costumava fazer todos os dias.

A criança estava em um tranquilo estado de relaxamento e, ao mesmo tempo, extremamente conectada ao olhar e toque de sua mãe.

A forma como Shantala massageava seu filho chamou a atenção de Frédérick Leboyer, um médico obstetra francês que caminhava pela cidade.

Leboyer, impressionado, pediu o consentimento de Shantala, registrou o momento e depois publicou um livro com seu nome, tornando essa massagem conhecida em todo o ocidente, a partir da década de 70.

A massagem Shantala é uma experiência compartilhada entre pais e o bebê que favorece uma espécie de comunicação profunda, que foi chamada por Winnicott de silenciosa.

O sentido do que é transmitido na comunicação silenciosa não passa pela linguagem verbal: ela acontece por meio do toque, olhar, aromas, calor, batimentos cardíacos e ritmos.

Assim, a mãe ou pai que faz a massagem estaria comunicando, de maneira silenciosa, que é devotado e confiável; enquanto o bebê, por outro lado, comunicaria ao adulto um pouco sobre quem ele é (e quem está se tornando), através de seu gesto espontâneo.

Um momento especial de encontro e afeição!

Especialmente nesse período de isolamento social, poder levar esse convite para as famílias e bebês experimentarem a massagem Shantala através das oficina terapêuticas é para mim muito realizador, pois sinto que estou contribuindo com o cuidado das famílias nesse momento tão difícil.

Desde muito cedo, estive atenta à intensidade de comunicação que a massagem pode propiciar a pais e seus bebês, e, depois, entrando em contato com a técnica da Shantala através de cursos, do contato com a obra de Leboyer e Winnicott, fui me sensibilizando cada vez mais para a profundidade dessa forma de comunicação e de como pais e bebês podem se beneficiar dessa prática.

Ao longo do meu trabalho com bebês e seus pais nas escolas por onde trabalhei, e depois com minhas pacientes mães e seus bebês, fui tendo a oportunidade de partilhar essa prática com famílias e suas crianças pequenas.

Além de muito prazerosa para pais e bebês, fortalecer o vínculo e acalmar a criança, a massagem Shantala tem ainda muitos benefícios.

Quais são os benefícios da Shantala?

  • Pais e bebê se comunicam melhor e a criança se torna mais sociável e sensível;
  • Transmite segurança para o bebê e o sentimento de ser (ainda mais!) amado, contribuindo para estabilizar suas emoções;
  • Traz confiança para a família que ganhou seu primeiro bebê;     
  • Ajuda a liberar tensões e desconfortos dos bebês em função de ficarem muito tempo na posição deitada;       
  • Alivia e previne a formação excessiva de gases, cólicas e a prisão de ventre;
  • Contribui com um estado de relaxamento que pode ser um ótimo ritual de preparação para o sono;
  • Contribui com  o desenvolvimento cognitivo, social e afetivo do bebê;
  • Contribui com a construção da consciência corporal e o desenvolvimento motor;       
  • Melhora a circulação sanguínea e linfática e fortalece o sistema imunológico;        
  • Amplia a capacidade respiratória;     
  • Libera serotonina e endorfinas.

Se você se interessou e gostaria de mais informações, envie uma mensagem para conversarmo a respeito das oficinas terapêuticas.